Da ética ao preconceito

4/November/2010 | Rabiscado por: Contrariador

Como sempre, vejo que é muito simples que as pessoas iniciem uma guerra contra certas atitudes, como por exemplo, a polêmica da xenofobia criada há alguns dias atrás no twitter.

Alguém por algum momento já parou para pensar por que existe esse tipo de atitude ou mentalidade?

Provável origem

Bom, eu sinceramente não sei, já que as convicções mudam de pessoa para pessoa, mas posso simular os seguintes cenários. A primeira coisa que me vem à cabeça é que a pessoa tenha herdado isto de alguém, seja dos pais ou dos amigos. Ora, se é tão fácil que uma banda retardada fique famosa e seja idolatrada, creio que seja muito mais fácil que pessoas ignorantes também acabem aderindo a certo “pacote” de pensamentos presentes principalmente em seus próximos.

Enfim, acredito que grande maioria tenha este tipo de pensamento simplesmente por seguir a onda, o que nos leva então ao motivo inicial do pensamento xenófobo. Como qualquer um pode perceber o Brasil não se desenvolveu por igual em todas as suas regiões, o que acarretou na imigração de pessoas do nordeste para outros lugares, assim como ocorreu com os mexicanos para os Estados Unidos. Imagine então o que aconteceria quando, em tempos de crise, seu trabalho entra em risco graças a certa mão de obra mais barata vinda de fora. Obviamente por fora tudo parece melhor, mas para aqueles que passaram pela situação, este cenário foi muito útil para disseminar os pensamentos racistas e xenofóbicos como ocorreu, por exemplo, na Alemanha.

Acredito que o mesmo tenha ocorrido com o Brasil em relação aos nordestinos e este preconceito tenha perdurado até os dias de hoje, com os pais passando para seus filhos este tipo de pensamento. Mesmo sendo um absurdo para você, é realmente complicado se livrar das crenças que são passadas pelos seus próprios pais e, caso você ainda não saiba, nosso mundo não funciona como em O Senhor dos Anéis, onde temos uma ruptura que distingue os heróis dos vilões. Pessoas não nascem querendo ser idiotas, elas simplesmente nascem assim e, se quisermos mudar os efeitos, sempre teremos que ir atrás das causas.

Prováveis causas

Bem escondidos, estão dois fatores já ditos que mal passam pela cabeça das pessoas.

A primeira é que todos sempre pensam que educação é a coisa mais importante do mundo e através dela tudo se solucionará. Infelizmente a educação que as pessoas têm na cabeça é a acadêmica, e não a que torna as pessoas realmente pessoas. É engraçado como a maioria das pessoas xenófobas e racistas que conheço tenha boas condições de vida e uma ótima educação.

Atualmente os pais passam menos tempo ainda com os filhos e a educação propriamente dita fica a cargo de quem? Televisão? Internet? Pelo que eu saiba, valores e ética não são passadas efetivamente pelas escolas justamente porque é impossível de aprender algo desta forma com pessoas que não respeitamos – ou seja, nossos professores. Não adianta fazer escândalo agora se ninguém disse e convenceu as pessoas de que certo tipo de atitude é coisa de filho da puta.

Mesmo que uma pessoa aceite que o racismo é errado, ela ainda está suscetível a outros tipos de pensamentos tolos justamente porque ela não foi educada com o padrão ético de pensamento que, alias, será discutido adiante.

A segunda grande causa é que se existe uma má fama, provavelmente existe um motivo. Ora, o nordeste como todos sabemos, possui maior concentração de pobreza do que as outras regiões e não vejo muita gente lutando para que haja igualdade entre todos. Engraçado como as pessoas se lembrem de criticar os outros, mas poucas vezes elas façam algo pelos outros.

O motivo principal da polêmica foi a grande quantidade de eleitores do norte e nordeste que contribuíram para a eleição de Dilma. Grande equívoco, já que na verdade ela foi eleita graças às cidades com menor IDH, seja em qual estado for.

A terceira causa poucos podem entender, mas a maioria provavelmente já é vítima. Similar à segunda causa, onde temos o problema gerado pela desigualdade social, nossa terceira causa é gerada simplesmente por estupidez humana. Paulistas gostam de cariocas e vice-versa? E quanto aos Argentinos?

Para mim, todo esse tipo de comportamento não deixa de ter fios bem finos manipulados pela xenofobia e eu aposto que a grande parte das pessoas que estão criticando os xenófobos, mal tenha percebido que também o são, mesmo que em uma menor dimensão.

Provável hipocrisia

Os preconceituosos julgam algum tipo de pessoa graças a certo tipo de comportamento, atitude ou simplesmente pela moda.

As pessoas “éticas” também julgam os preconceituosos graças a certo tipo de comportamento, atitude ou simplesmente pela moda.

Surjo então como aquele que julga os éticos que julgam os preconceituosos. Não seriam suas atitudes as mesmas que eles estão tendo? E logo, surgirá alguém que venha a me julgar da mesma forma.
Pensemos então sobre os éticos.

Julgar e apedrejar os preconceituosos resolve a situação de que forma? Pelo que percebo ninguém tenta convencer ninguém, mas sim apedrejar aqueles que tenham certo tipo de atitude. Se você odeia quiabo e as pessoas lhe dizem “você é um idiota por não gostar de quiabo”, sua opinião será mudada?
Ainda acredito que a maneira mais fácil de mudar a opinião de alguém, é fazendo com que essa pessoa goste e lhe respeite.

As pessoas não têm pelo que lutar, e quando surge algo absurdo, este já se torna o ápice revolucionário de sua vida, enquanto na verdade, esta atitude não deixa de beneficiar apenas aquele que se considera certo. Entender os problemas, conversar e convencer é algo que passa longe das cabeças daqueles que estão empolgados no lado vitorioso. Quem está errado que se foda.

Poucos se lembram que um dia a escravidão já foi normal e que nossos próprios valores atuais podem vir a se tornar absurdos daqui a gerações. A ética é sempre daqueles que estão por cima.

Contrarie